Mini Bio

Perspectiva biocêntrica

Sergio Mauricio Manon é reconhecido por sua profunda conexão com a natureza - influência evidente em sua arte. Nos últimos anos, Manon estabeleceu-se como um expoente na cena artística global. Em 2022, atuou como curador e artista na Mostra Vagalumes 21, exibindo trabalhos de 12 artistas visuais contemporâneos brasileiros no Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro. Em 2021, suas obras foram destacadas na Publicação fine art Vagalumes21 e capa da revista italiana de arte AÍNAS, marcando seu alcance internacional. De 2008 a 2013, Manon foi o editor e curador da SANTART MAGAZINE, premiada em 2013 como a melhor publicação fine art do mundo, ganhadora do Benny Award em Chicago. Entre 2016 e 2017, curou e participou do projeto “Máquina do Mundo”, uma colaboração notável na arte contemporânea. Em 2019, fundou o “Manon Arte, um espaço de arte biocêntrica” na, região serrana do Rio de Janeiro, consolidando seu compromisso com a arte e a natureza. No início dos anos 2000, Manon foi curador e artista na mostra “Geração Digital” no Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro. Nas décadas anteriores, desde a de 80, ele deixou sua marca na cena artística com sua obra “Copacabana na visão de uma mosca”, na iconográfica mostra “Como vai você Geração 80”. Seu envolvimento com abelhas e sua proximidade com plantas e animais moldaram sua perspectiva artística desde então. As criações de Manon estão em coleções particulares e institucionais no Brasil e no mundo.

EXPOSIÇÃO EXCLUSIVA EM UM CLUBE PRIVADO EM SÃO PAULO

O artista e curador Sergio Mauricio Manon desenvolveu projeto curatorial de arte para um exclusivo clube privado, localizado no Jardim América em São Paulo. O principal objetivo do projeto foi estabelecer critérios que permitissem ao clube privado normatizar-se para receber exposições de arte significativas. A primeira exposição realizada sob sua curadoria foi "Jardim das Sinapses, Enigmas da Inteligência Natural", composta por 20 obras de autoria de Manon. Planejada dentro dos padrões museológicos, visou proporcionar ao Clube Privado um evento singular e inédito no espaço, que estabelecesse um referencial para futuras mostras artísticas. Outro objetivo foi o de possibilitar a catalogação, organização e cuidados com acervo do Clube Privado e oferecer consultoria para as coleções de arte de seus membros. Sergio Mauricio Manon possui uma vasta trajetória no mundo da arte, marcada não apenas por sua sólida formação teórica, mas também por uma significativa realização prática. Como artista, sua obra tem sido exibida em museus, centros culturais e galerias, ganhando reconhecimento internacional ao longo das últimas três décadas.

Jardim das Sinapses, Enigmas da Inteligência Natural

Com curadoria do artista Sergio Mauricio Manon, a Mostra Vagalumes 21, ocupou, ao longo de 3 meses, os 3 pavimentos do Pavilhão de Exposições Temporárias do Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro. Participaram 12 artistas visuais contemporâneos brasileiros. Artistas participantes: Antônio Bokel, Bruno Vilela, Danielle Carcav, Ilan Kelson, Manon, Marcos Correa, Marcos Prado, Pedro Varela, Rodolpho Parigi, Rogério Reis, Smael Vagner, Talita Hoffmann. Como parte da mostra, foram realizadas atividades multidisciplinares de meditação e arte educação. Mario Moura ao longo dos 3 meses da mostra apresentou frequências sonoras de cura; houve também meditações guiadas e oficinas de arte. No período de 3 meses, 6 mil pessoas visitaram a Mostra Vagalumes21.

Mostra Coletiva Vagalumes21

MUSEU HISTÓRICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

VAGALUMES 21, com curadoria de Sergio Mauricio Manon, reúne obras de 21 artistas visuais de diferentes gerações e regiões do Brasil, organizadas a partir da diversidade de técnicas e linguagens. Cerca de 80 trabalhos de nomes como Jaider Esbell, Pedro Varela, Marcos Prado, Anderson AC, Danielle Carcav, Walmor Correa e Manon entre outros integram a publicação em grande formato, com 184 páginas, compondo um recorte da produção artística contemporânea das últimas duas décadas no país.

Publicação Vagalumes21

PUBLICAÇÃO FINE ART

"As pinturas do artista plástico, jornalista e editor carioca Sergio Mauricio Manon acabam de ganhar capa, contra-capa e dez páginas da edição 13 da top revista sarda (da Sardenha/Itália) Ainas. A capa apresenta a pintura “"Vera, vida e morte no jardim das máquinas desejantes" (2016). A revista Ainas é uma revista internacional que trata de arte e cultura contemporânea... O título da revista foi retirado de um provérbio popular sardo: “Is ainas faint is fainas” (os instrumentos fazem os ofícios). Ainas parte do regional para atingir o universal" (Mapa das Artes 2021)

Aínas

REVISTA ITALIANA FINE ART

EXPOSIÇÃO

Máquina do mundo

O Projeto "Máquina Do Mundo" marcou a inauguração dos amplos espaços expositivos do empreendimento Z42 Arte. Sob a meticulosa direção de Sergio Mauricio Manon, editor da renomada publicação SANTART, o evento não apenas celebrou a fusão entre arte e espaço, mas também solidificou a posição da Z42 Arte como um protagonista inovador no cenário da arte contemporânea brasileira. O título da exposição, inspirado no icônico poema de Carlos Drummond de Andrade, em diálogo poético com Luís de Camões, proporcionou a base conceitual para uma experiência artística única. Sob a visão do curador, a exposição transcendeu o convencional, apresentando uma fusão inovadora de imagens e textos. Cada obra exposta foi cuidadosamente associada com uma epígrafe, proveniente das análises e críticas de outros curadores de arte, resultando de uma profunda imersão na fortuna crítica de cada artista. A narrativa poética estabelecida entre a imagem e o verbo gerou uma repercussão significativa na mídia, destacando a Z42 Arte como um novo e extraordinário player no mercado de arte contemporânea brasileiro. A exposição não apenas se destacou pela sua originalidade, mas também pela capacidade de estabelecer um diálogo inovador entre o público, as obras e o contexto cultural, consolidando a Z42 Arte como um ponto de referência essencial na cena artística contemporânea do Brasil.

Participaram 22 artistas, entre eles: Anthony Goicolea, Cadu, Charlie White, Conrad Schawcross, Erwin Wurm, Henrique Oliveira, Isaque Pinheiro, João Castilho, José Bechara, Leda Catunda, Mariana Palma, Mauro Piva, Reginaldo Pereira, Rodolpho Parigi, Sergio Mauricio Manon, Walmor Corrêa.

SANTA ART MAGAZINE

Estado de arte

Ao longo de sete anos, Sergio Mauricio Manon lançou 10 edições da revista Fine Art SANTA ART MAGAZINE, conduzindo uma curadoria meticulosa para selecionar 190 artistas de diversas regiões do Brasil e do mundo. A publicação destacou-se em feiras importantes como Arte/Rio e SP/Arte no Brasil, marcando presença em outras feiras internacionais. A revista, que desde o seu nascimento virou objeto de desejo, alcançou um patamar notável ao conquistar o prestigiado prêmio Benny Award em Chicago, sendo reconhecida como a melhor publicação Fine Art do mundo, em meio a uma concorrência acirrada entre 12 mil revistas globalmente. Essa conquista representa um feito inédito para o Brasil nesse segmento. As edições da Santa são colecionadas como objetos de devoção, transformando-se em obras de arte presentes em muitos lares. A revista encontra-se nas estantes de inúmeras bibliotecas em todo o território nacional e em vários países, que a receberam ou a adquiriram. Cada artista apresentado nas páginas da SANTA continua a ser objeto de apreciação, estudo e pesquisa.

Curriculo Cronológico

2022- Atua como curador e artista na Mostra Vagalumes 21, exibindo trabalhos de 12 artistas visuais contemporâneos brasileiros: Antônio Bokel, Bruno Vilela, Danielle Carcav, Ilan Kelson, Isabela Stampanoni, Marcos Corrêa, Marcos Prado, Pedro Varela, Rodolpho Parigi, Rogério Reis, Sergio Mauricio Manon e Talita Hoffman, no Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro.

2021- Curador e artista da Publicação fine art Vagalumes21, onde reúne importantes artistas brasileiros: Rodolpho Parig, Jaider Esbell, Danielle Carcav, Bruno Vilela, Gustavo Malheiros, Isabela Stampanoni, Pedro Varela, Marcos Prado, James Kudo, Talita Hoffman, Anderson AC, Marcos Corrêa, Antônio Bokel, Rogério Reis, Ilan Kelson, Walmor Corrêa, Sergio Mauricio Manon, Alice Lara, Flávia Junqueira e Ana Maria Diase.

• Publicado na capa e em mais dez páginas da revista fine art italiana AÍNAS.

2019- Funda o espaço de arte Biocêntrica “Manon Arte” no Vale das Videiras, com uma exposição individual intitulada “Das plantas viemos e para as plantas voltaremos”.

2018 -  Exposição “Radiografias do Invisível” de Martha Pagy no Escritório de Arte. - Exposição Individual “Sinapses Biocêntricas”, conclusão de um ano de residência artística no EV do Largo das Artes.

2016 - Curador e artista da mostra inaugural “Máquina do Mundo” com a participação de 22 importantes artistas do Brasil e do mundo, incluindo Anthony Goicolea, Cadu, Charlie White, Conrad Schawcross, Erwin Wurm, Henrique Oliveira, Isaque Pinheiro, João Castilho, José Bechara, Leda Catunda, Mariana Palma, Mauro Piva, Reginaldo Pereira, Rodolpho Parigi, Sergio Mauricio Manon e Walmor Corrêa, na Galeria e Centro Cultural Z42 ARTE.

2015 - Exposição Individual “Jardim das Sinapses” no Espaço Plural Yara Figueiredo. - Participação na mostra coletiva “A Natureza da Arte” no Rio Arts Club.

2013 - Ganha o Prêmio Benny Award 2013, Chicago, com a Santa Art Magazine nº09 como a melhor revista de arte do mundo. Publica a SANTA Fine Art #10.

2012 - Publica a SANTA Art Magazine #8.

2011 - Publica a SANTA Art Magazine #6. - Publica a SANTA Art Magazine #7.

2010 - Publica a SANTA Art Magazine #5.

2009 - Publica a SANTA Art Magazine #4.

* Publica a SANTA Art Magazine #3.

2008 - Publica a SANTA Art Magazine #2. - Publica a SANTA Art Magazine #1.

2007 - 2006 - 2005 - 2004 - Prêmio Colunista Brasil na categoria Nacional ouro pelo “Projeto de Arte Spoleto”. - Curadoria plena, Direção e Criação de Branding da marca Spoleto e do projeto de Arte Spoleto, distribuindo 200 mil pratos de porcelana e 1 milhão de postais reproduzindo a arte de diferentes artistas contemporâneos. - Curadoria plena, Direção e Criação de Branding da marca Ateen.

2001 - Cria a agência de comunicação Utópos. - Realiza e participa da exposição “Geração Digital” no Museu Nacional de Belas Artes como curador e artista. - Curadoria Plena e projeto de Branding da marca Vellox e do espaço Vellox de Arte Contemporânea. - Curadoria da exposição de fotografias “Garotas Selvagens” de Renato Freitas. - Curadoria da exposição de pinturas “Ícamiabas” de Lu Martins. - Curadoria da exposição “Up Side Down” do coletivo OEstúdio.

1998 - 1999 - 2000 - Curadoria plena e projeto de Branding do centro cultural gastronômico Estação Ipanema e do projeto Cerebelo Artes.- Exposição individual “Memórias de Gaveta”, composta por 20 pinturas. - Curadoria do espaço de artes visuais do projeto Cerebelo Artes no Estação Ipanema: exposições incluindo “Eu Amo o Mac”, individual de pinturas de Nando Chagas, exposição individual fotográfica “Filhos da Luz” de Rogério Randolph, exposição individual fotográfica “Carvoeiros” de Marcos Prado, exposição de desenhos de Lu Martins, exposição de pinturas em cerâmica de Jef Svoboda, exposição fotográfica “2X35X6P7” de Tomás Salles e Pablo de Paula, exposição de fotografias “Carnaval na Lona” de Rogério Reis.

1993 - 1996 - Apresenta em Nova York a Obra “Xadrez Toy”. - Participa da Coletiva I Mostra Atlantic de Realidade Virtual no Centro Cultural Candido Mendes.

1989 -  Inaugura a Trama Comunicação. - Criação do nome, projeto de branding e arte da marca Guaraplus.

1986 - Exposição “Terra de Gigantes” na PUC-RJ, com 12 telas de 6x6 metros, pintura acrílica suspensas. - Exposição “Terra de Gigantes” na Estação Carioca do Metrô, com 12 telas de 6x6 metros, pintura acrílica suspensas. - Integra a equipe de Arte Jornalismo na TV Manchete.

1985 - Participa com o coletivo Radio Novela na mostra “O Visual do Rock” no Museu de Arte Moderna (MAM – Rio de Janeiro), com a obra “O Carro”.

1984 - Co-Curador e artista do Projeto Rádio-Novela: evento de artes visuais pioneiro da PUC-RJ, que ocupou diversos espaços da universidade e envolveu dezenas de artistas, incluindo Adélia de Oliveira, Alexandre da Costa, Amador Peres, Ana Lúcia Rondon, André Costa, Angelo Marzano, Ângelo Venosa, Antônio Manuel, Arnaldo Antunes Filho, Beatriz Milhazes, Belisario Franca, Cildo Meireles, Cristina Canali, Daniel Senise, Eduardo Barreto, Eduardo Kac, Flávia Portela, Francisco Cunha, Hamilton Vianna Galvão, Ivo Ito, Jorge Brrão, Jorge Guinle, Lia Rio, Lívia Flores, Lygia Pape, Luís Pizarro, Marco Veloso, Milton Machado, Mozart Canuto Filho, Nelson Félix, Neno, Orlando Rafael, Paulo Brusckly, Ricardo Collares, Ricardo Basbaum, Rubens Gerchman, Sergio Mauricio Manon, Umberto Costa Barros, Waltércio Caldas e Xico Chaves. O Projeto Rádio-Novela foi uma prévia da mostra “Como Você Geração 80?”, que ocorreu poucos meses depois no Parque Lage, contando com a participação de praticamente todos os artistas que estiveram envolvidos no Projeto Rádio-Novela. - Participou da mostra “Como Vai Você Geração 80?”, criando uma tela de 4 metros de altura por 16 metros de comprimento, um penetrável em forma de caracol (ciclorama), intitulado “Copacabana na Visão de uma Mosca”, com uma vídeo-instalação chamada “Av. Chucrute”. O ciclorama foi pintado com cenas fragmentadas de Copacabana. Em duas janelas abertas, monitores de TV exibiram diálogos de uma família durante o jantar e de dois tenores que cantavam em uma banheira cenográfica. Este trabalho foi a única vídeo-instalação da mostra. - Exposição no “Arte das Artes - Noites Cariocas / Morro da Urca”: Com o Grupo Rádio Novela, apresentou o trabalho “Av. Chucrute, Copacabana na Visão de uma Mosca” no projeto “Performance – As Artes das Artes”, realizado no Noites Cariocas, Morro da Urca. O projeto abrigou trabalhos de artistas como Hélio Oiticica, Ricardo Basbaum, Alexandre Dacosta, Lygia Pape e Vergara. - Exposição na mostra “Arte no Espaço, Planetário da Gávea”. - Apresentou nos Pilotis da PUC para milhares de passantes a obra “Sonho de Dali”, uma pintura em lona de 6 x 6 metros inspirada nas pinturas de Salvador Dali. - Mercado Persa: Com o Grupo Rádio-Novela, apresentou a performance “Mercado Persa” no Circo Voador, envolvendo cerca de 30 pessoas (atores e não atores).

1981 a 1983 - Ingressou na Universidade PUC-RJ para cursar Comunicação. - Integrou o Coletivo Rádio-Novela, que combinava Artes Visuais, Linguagem Teatral e recursos multimídia, participando de vários happenings de cunho estético-artístico na PUC-RJ.